Cagarro

Calonectris borealis (Cory, 1881)

O cagarro apresenta uma envergadura das asas que varia entre 100 e 125 cm. Os machos são maiores do que as fêmeas pesando em média 900 g e 780 g, respetivamente. A região dorsal é cinzenta-acastanhada e a região ventral branca.

A espécie Calonectris borealis nidifica essencialmente nas ilhas Berlengas, e nos arquipélagos dos Açores, Madeira e Canárias. No caso particular dos Açores, existem cerca de 188000 casais reprodutores, pelo que se traduz em 75% da população mundial da espécie. A escolha dos locais para fazerem os ninhos recai sobre locais de difícil acesso a potenciais predadores, pelo que recai em pequenas cavidades naturais como grutas e fendas nas rochas, sendo que também podem escavar o solo. O ciclo reprodutor tem uma duração aproximada de 9 meses.

Os ninhos são ocupados a partir de fins de fevereiro e a época de acasalamento estende-se até meados de maio. A postura dá-se entre finais de maio e início de junho, sendo que cada fêmea põe um único ovo e a incubação dura cerca de 54 dias. Durante este período os dois progenitores fazem turnos para se alimentarem. Após a eclosão, que se dá na segunda metade de julho, as crias são alimentadas à noite por ambos os progenitores e deixam os ninhos entre o fim de outubro e início de novembro.

De salientar os indivíduos adultos mostram fidelidade ao ninho e ao parceiro de um ano para o outro. Após a emancipação dos juvenis, os cagarros reúnem-se em bandos e migram para as costas Sul-Americanas (Brasil e Uruguai) e costa Sul-Africana até ao canal de Moçambique e Oceano Índico ocidental.

Alimentam-se principalmente de pequenos peixes pelágicos (ex: chicharro Trachurus picturatus), mas também incluem na sua dieta pequenas lulas, crustáceos e zooplâncton.

  • Reino:
    Animalia
  • Filo:
    Chordata
  • Classe:
    Aves
  • Ordem:
    Procellariiformes
  • Família:
    Procellariidae
  • Género:
    Calonectris

Informações Adicionais

Frequentemente avistam-se cagarros a alimentarem-se em associação com outras espécies como atuns, baleias e golfinhos.

São por isso usados como referência pela indústria do atum e pelas empresas de observação de cetáceos.